Espírito Santo – Pedra Azul


Como comentado no post anterior resolvemos passar o último feriado nacional na região de Pedra Azul, localizada no distrito de Aracê, município de Domingos Martins – ES.

Os moradores do lugar afirmam que lá encontramos o terceiro melhor clima do mundo, mas como os moradores de Miguel Pereira – RJ e de duzentas outras cidades espalhadas pelo mundo também afirmam a mesma coisa, prefiro não entrar na discussão. A única coisa que posso dizer é que o clima daquelas bandas é excelente!




A região ficou conhecida por Pedra Azul devido a uma formação rochosa que pode ser facilmente avistada de qualquer ponto da localidade.

O nome Pedra Azul foi dado em virtude de a pedra, em alguns momentos, dependendo da incidência da luz do sol, ficar azul. Ocorre que, em outros momentos a mesma fica verde ou amarela. Esse fenômeno ocorre graças aos liquens que crescem na pedra e as mudanças de cor podem ocorrer até 30 vezes em um mesmo dia.

Outra curiosidade da Pedra Azul é quanto ao fato de ter um apêndice em sua lateral que, segundo os moradores, se assemelha a um lagarto, recebendo, assim, o nome de Pedra do Lagarto.



A região é muito charmosa, possuindo diversos hotéis, pousadas, restaurantes, fazendas, lojas de artesanato e produtos típicos, sem contar o ótimo clima que ela nos oferece. A região também é referência do agroturismo no Espírito Santo e possui a segunda maior cobertura de Mata Atlântica do país.

Para começar a explorar a região nada melhor do que percorrer os 8 km da estradinha conhecida como “Rota do Lagarto”. Ela começa no Km 90 da BR 262 e segue até a rodovia ES 164, cortando a região mais bonita do Espírito Santo.


A Rota do Lagarto começa logo após a charmosa Pousada Peterle, uma das muitas ao longo da rota. Bem ao lado da pousada existe um espaço com lojas e um centro de informações turísticas.



Continuando, passamos por um trecho de paralelepípedos onde a rota é rodeada de árvores lembrando as paisagens da região da Nova Inglaterra nos Estados Unidos.




Um pouco mais adiante fica a Pousada Pedra Azul, uma das mais tradicionais da região, mas que se encontrava em obras e com previsão de ser reaberta em julho próximo. Da estrada que nos leva ao Aroso Paço Hotel é possível avistar a pousada e a cachoeira que passa pela propriedade.


Seguindo mais um pouco nos deparamos com a entrada do Parque Estadual de Pedra Azul, onde ficamos literalmente de frente para a Pedra Azul. Ali a parada é obrigatória, pois existe um amplo estacionamento e uma loja onde são vendidos produtos da região.





Para quem quer se aventurar pelo Parque Estadual existem passeios que são realizados na companhia de monitores, sendo o mais tradicional o que vai para as piscinas naturais que ficam em uma pedra onde o visitante tem que subir uma boa parte com o auxílio de uma corda para depois apreciar o belo visual da região com a Pedra do Lagarto bem ao seu lado. Como já tínhamos feito essa trilha em 2003 e o tempo não estava nada amigável partimos para continuar passeando pela Rota do Lagarto.

 






Em seguida surge um lugar super bacana: a Fjordland, onde encontramos uma cafeteria com uma paisagem única e onde se pode cavalgar em cavalos noruegueses da raça Fjord – “Norwegian Fjord Horse”.



A entrada para a Fjordland é gratuita, porém você recebe um cartão que serve para anotar o seu consumo em todos os lugares do complexo.

O primeiro lugar que conhecemos foi a Cafeteria Heimen, cujas mesas na sacada nos proporcionam uma bela visão da região, em especial da pedra Azul.

Ali experimentamos o café orgânico Heimen, um Arábia 100% puro e produzido na propriedade. Muito gostoso!





De lá também era possível ver o Aroso Paço Hotel, com sua imponência, misturado com a Mata Atlântica que o cerca.


Caminhando um pouco chegamos perto de um lago onde patos se divertiam com seus mergulhos e algumas poses para fotos.



Mas a nossa curiosidade maior era conhecer os famosos cavalos da raça “Norwegian Fjord Horse”. Assim, nos encaminhamos para a região dos estábulos para conhecê-los mais de perto.




Esses cavalos são de uma beleza ímpar, têm temperamento dócil e uma forte estrutura corporal, sendo, assim, ideais para um cavalgada tranquila.

As cavalgadas são realizadas diariamente, existindo três opções de passeios:

  • Cavalgada Trilha longa Lagarto - com  duração aproximada de 1h40min, percorre áreas de mata nativa e plantada, até chegar ao Mirante do Lagarto. Saída: 9h30min. Valor: R$ 60,00 por pessoa. Idade Mínima:10 anos.
  • Cavalgada Trilha Longa Piscinas - com  duração aproximada de 1h40min, percorre áreas de mata nativa e plantada, até chegar às piscinas naturais da fazenda. Saída: 13h30min. Valor: R$ 60,00 por pessoa. Idade Mínima:10 anos.
  • Cavalgada Mini Trilha - com  duração aproximada de 20 minutos, segue até a plantação de Café Orgânico Heimen. Saídas em diversos horários. Valor: R$ 25,00 por pessoa ou R$ 40,00 um adulto e uma criança no mesmo cavalo (crianças de 2 a 7 anos).



O lugar é muito bonito e bastante amplo contando com muitas outras opções de lazer, como por exemplo:

  • A cozinha-escola onde são oferecidos diversos cursos à  comunidade;
  • A biblioteca com vários títulos relacionados à educação ambiental e a criação de cavalos;
  • Loja de souvenires.




Depois de nos esbaldarmos na Fjordland passamos pela Pousada Tre-Fiori, uma das mais tradicionais da região. Logo de cara visualizamos uma pequena capela e um riacho dentro da propriedade que, acompanhados das hortênsias, resultaram em uma excelente foto.



Nos limites da propriedade também podemos almoçar no restaurante Don Lorenzoni Due ou tomar um café ou um chocolate quente na Tre-Fiori Café Expresso, ambos com uma bela vista da Pedra Azul.





Saindo da Tre-Fiori vamos passando por diversos lugares especiais como pontes, cachoeiras, pequenas fazendas e lojinhas de artesanato.










Quase no final da rota demos uma paradinha na Venda da Rota, lugar que funciona como restaurante, cafeteria, loja com cervejas artesanais e louças finas e fábrica de ofurôs.




De lá temos uma outra bela visão da Pedra Azul e nos deparamos com uma enorme quantidade de canários da terra.



Uma curiosidade dessas aves é que somente os machos adultos são amarelos. As fêmeas e os jovens são pardos, sendo que os machos levam cerca de 18 meses para atingir a plumagem dos adultos.



Bem em frente à Venda da Rota encontra-se a delicatessen Marietta que conta com uma infinidade de produtos, sem contar o cafezinho quente e o bolo feito na hora oferecidos pelas proprietárias como cortesia.





Chegamos, assim, ao final da Rota do Lagarto, mas se depois de tudo isso você ainda estiver com fome, a sugestão é comer no restaurante Alecrim, já fora da Rota do Lagarto, localizado na ES 164, onde deliciosos pratos artesanais são preparados pelos seus proprietários.




De volta a BR 262 vale a pena conhecer o pequeno povoado de Pedra Azul onde os visitantes podem encontrar algumas lojas, restaurantes e pousadas.



Uma loja bem bacana é a Transverde que vende de tudo um pouco, além de ser bem bonita.




Bem, essa é uma bela sugestão de passeio para quem quer curtir o frio das montanhas, uma comida caseira gostosa, um café quentinho, uma boa pousada e os vários pontos de parada onde se pode apreciar a natureza.

Comentários

Postagens mais visitadas