Vermont – De Stowe a Rutland

Vermont é o segundo estado menos populoso dos Estados Unidos, sendo o mais rural e considerado o lugar ideal para apreciar a “fall foliage” em outubro. A origem do nome Vermont é incerta, mas provavelmente veio do francês “Les Verts Monts” ou montanhas verdes. Aliás uma das regiões mais visitadas no estado é a das “Green Mountains”, que será tema deste e de mais um post sobre o referido estado americano.

Vermont também é o estado líder na produção do “maple syrup”, o famoso “xarope de bordo” que dá aquele incomparável sabor às panquecas americanas.





Começamos nossa aventura por Vermont em Stowe parando no Trapp Family Lodge”, hotel da família Von Trapp cuja história serviu de inspiração para o filme “A Noviça Rebelde”.

O hotel também administra uma cervejaria artesanal – a Trapp Lager Brewery, onde são produzidos três tipos de cerveja. 




Demos uma circulada rápida pelas dependências do hotel e rumamos para Waterbury, onde passaríamos a noite no hotel “Best Western Plus Waterbury-Stowe”, muito bem localizado ao lado da fábrica da sorveteria “Ben & Jerry’s”.




Waterbury é uma pequena cidade, onde todo o comércio fica concentrado na rua principal.





Escolhemos jantar na Blue Stone, pizzaria que serve diversas cervejas produzidas por cervejarias artesanais de toda a Nova Inglaterra.





Pedimos uma pizza e experimentamos algumas cervejas artesanais: Trapp Lodge Vienne (Stowe, Vermont), Alchemist Heady (Waterbury, Vermont) e Northshire Equinox Pilsner (Bennington, Vermont).



O principal atrativo de Waterbury é conhecer a fábrica da sorveteria Ben & Jerry’s, localizada na Route 100 e que será tema do nosso próximo post.



Saímos de Waterbury e resolvemos passar por localidades onde existissem pontes cobertas (covered bridges) que são verdadeiros cartões postais da Nova Inglaterra. Essas pontes são cobertas por conta do clima severo. Vermont é o estado americano com a maior quantidade de pontes cobertas.

Nossa primeira parada foi em Northfield, onde encontramos as pontes Station, Lower e Upper. Ali tivemos a constatação de que o ápice da fall foliage em Vermont tinha ocorrido antes da época, pois toda a vegetação já estava seca. Coisas desse tal de aquecimento global! Uma pena!



Um pouco mais adiante, mais uma parada para conhecer a Moxley Bridge, em Chelsea.



Minutos depois já estávamos em Tunbridge, onde paramos para apreciar as pontes  Larkin, Mill e Cilley. A paisagem próxima à ponte Mill é bem bacana e rendeu boas fotos.




Logo depois chegamos em Quechee, pequena localidade que conta com uma exuberante loja da Simon Pearce, especializada em vidros e em cerâmica.




O estacionamento do lugar estava lotado. Conseguimos parar o nosso carro somente em um estacionamento que estava sendo disponibilizado para os visitantes de uma grande feira local. No caminho do estacionamento até a loja, pudemos tirar algumas fotos do rio e das casas à sua margem.





Entramos na loja, que é bastante bonita e estava bem cheia, e demos uma espiada nos produtos, no geral com preços bem salgados.



O espaço possui, ainda, um excelente restaurante. Como já estava na hora do nosso almoço, resolvemos comer por lá mesmo. Mas a fila de espera era de 1 hora. Colocamos o nosso nome na lista e fomos até a ponte coberta que fica bem ao lado - Quechee Covered Bridge - tirar umas fotos.



Lá da ponte temos um belo ângulo da loja e da queda d'água que existe em seus fundos.




Quando voltamos, descobrimos que no porão da loja estava rolando um workshop de fabricação de vidros e resolvemos observar um pouco essa arte.




Finalmente chegou a nossa vez e partimos para o restaurante. A fome era tanta que nem lembramos de tirar fotos. Só tiramos uma! Mas a comida era muito boa!



Antes de partir, subimos até o segundo andar onde se encontra um local reservado para eventos e, sorrateiramente, entramos no recinto para conhecê-lo. De lá pudemos tirar boas fotos da região.



De volta à estrada pegamos uma estrada secundária e fomos em direção a Woodstock. A primeira parada foi na ponte coberta Taftsville.





Em seguida chegamos ao centro de Woodstock. Como achamos a cidade bonita, estacionamos o carro e resolvemos dar uma volta por lá.





Na volta para o carro ainda passamos pela ponte Middle Bridge.




Já era quase noite quando chegamos ao hotel Hampton Inn em Rutland, mas isso será tema para um de nossos próximos posts, pois no seguinte iremos tratar especificamente da fábrica da Ben & Jerry's. Até lá!



Comentários

  1. Oi Claudio, como vai?

    Como você sabe, seguimos acompanhando os teus posts, sobre a Nova Inglaterra, desde o início, até porque vamos para lá em 26/09/2014 e voltamos dia 17/10/2014, como eu já falei em outros comentários.
    Que coisa mais linda essa região, não? E as fotos de Woodstock.
    Nós também vamos passar por lá, só que eu vou subir a Rota 100, pois vamos vir da região de Berkshires(Massachusetts); vamos subir a Rota 100, conhecer os lugares mais legais e dormir 02 noites em Stowe.

    Claudio, você comentou que parou em Waterbury e depois resolveu conhecer Woodstock. Você me disse em outro post sobre Bar Harbor(Maine) que dá para estacionar o carro por 02 horas sem qualquer taxa. Depois tem que mudar o carro de lugar. Nessas cidadezinhas de Vermont é o mesmo esquema? Ou tem parquimetro?

    Abração Luciana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Luciana,
      Nas cidades de Vermont é muito mais tranquilo estacionar. Não tem parquímetro e nem aquelas máquinas. É como chegar em um cidade do interior do Brasil e estacionar. Alguns lugares até possuem parquímetro, mas é raro. Nesses lugares procure uma rua um pouco mais afastada da principal, pois lá não existirá a cobrança.
      Grande abraço

      Excluir
    2. Obrigada.

      Abraço para vocês.

      Até mais

      Luciana

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas