Sergipe - Cânion do Xingó

Um dos passeios mais procurados por quem visita Aracaju é ir conhecer o Cânion do Xingó, que projetou o sertão sergipano e alagoano no mapa turístico brasileiro.


O Cânion do Xingó é uma atração relativamente recente, pois a área onde está localizado era de caatinga, sendo o cânion formado após a construção da Usina Hidrelétrica do Xingó em 1994.

Na verdade, a área onde o Xingó está localizado fica na divisa dos estados de Sergipe e Alagoas e tem como portas de entrada as cidades de Piranhas, em Alagoas e Canindé de São Francisco, em Sergipe.

Resolvemos conhecer a famosa atração e para isso concluímos que a melhor maneira seria contratar os serviços de uma operadora local – a Nozes Tur.

O ônibus da empresa nos pegou bem cedo no hotel e partimos rumo a Canindé do São Francisco, localizada a 213 quilômetros de Aracaju, em uma viagem de 3 horas e meia, com uma pequena parada no meio do caminho.

Chegando a Canindé do São Francisco, o ponto de apoio é o restaurante Karrancas, local de onde partem os catamarãs para o Cânion do Xingó.





Lá chegando, nos dirigimos para a bilheteria para pagar o passeio que ainda incluía um almoço no restaurante. Após o pagamento recebemos pulseiras de identificação que devem ser usadas durante todo o passeio. 




O embarque é feito de forma ordenada, sendo os passageiros chamados pelo nome.


Após o embarque, fomos para a parte coberta do catamarã, pois havia muita gente e não estávamos ali para torrar no sol.

O catamarã é bem equipado, com serviço de bordo, banheiro e muita música. Podemos adquirir bebidas, espetinhos variados e sorvete no interior da embarcação.




A navegação até o local onde desembarcamos dura 1 hora e é bem tranquila. Durante o passeio podemos avistar diversas formações rochosas, como as Pedras do Gavião e do Japonês e o Morro dos Macacos.










Um pouco mais adiante, notamos uma lancha parada em um local onde algumas pessoas subiam uma escada em direção a uma pequena gruta que abriga uma imagem de São Francisco.



Finalmente pudemos sentir que a parte mais bonita e aguardada do Cânion e do passeio estava se aproximando -  o desembarque no Porto do Brogodó.

O local na verdade é um flutuante próprio para a atracação das embarcações.






Após o desembarque resolvemos fazer um passeio em um barco menor pela parte mais estreita do cânion – a “Gruta do Talhado”. Esse passeio é pago à parte (R$ 10,00 por pessoa) e não dura mais que 20 minutos, mas é, sem dúvida, o ponto mais bonito do passeio e rende ótimas fotos.












Retornando para o flutuante chegou a hora de encarar as águas do Rio São Francisco: pegamos um dos muitos macarrões flutuantes disponíveis e nos esbaldamos nas águas do “Velho Chico” em uma área delimitada para evitar acidentes.



Depois de 1 hora ancorados, chega a hora de retornar ao Karrancas. Na volta, encaramos mais 1 hora de navegação, totalizando 3 horas de passeio.

Quando estávamos nos aproximando do restaurante ainda sobrou tempo para sacar umas fotos da Usina do Xingó.


Depois, ainda encararíamos mais 3 horas e meia de ônibus até Aracaju, mas o saldo do passeio foi altamente positivo. Recomendamos!



Comentários

  1. Oi, Cláudio. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas