Portugal – Viana do Castelo

Como comentamos nos posts anteriores, nosso percurso entre Guimarães e Viana do Castelo ocorreu com duas paradas intermediárias nas cidades de Braga e Ponte de Lima. Assim, quando chegamos a Viana do Castelo já era tarde e não pudemos aproveitar todas as atrações da cidade.


Ficamos hospedados na Pousada de Viana do Castelo ou Pousada Monte de Santa Luzia, uma construção de 1918, fruto da remodelação do antigo Hotel de Santa Luzia.

Situada no alto do Monte de Santa Luzia, a Pousada de Viana do Castelo oferece uma excelente vista da cidade de Viana do Castelo e, principalmente, da Igreja de Santa Luzia.
O nosso quarto possuía uma vista inacreditável da Igreja e da cidade. Ficar na varanda apreciando a vista é uma bela pedida.



Logo após nos instalarmos e tirarmos as fotos de praxe, descemos até o Santuário de Santa Luzia, também no Monte de Santa Luzia.
Inicialmente, ficamos andando pelos jardins que existem na proximidade da Igreja.




Em seguida rumamos para a Igreja, onde já existia um grande número de visitantes. O Santuário é bem bonito e teve sua construção concluída em 1959. Vale a pena uma visita!



Em frente à entrada principal do Santuário existem vários locais excelentes para se apreciar a cidade de Viana do Castelo.




Para quem quiser explorar a cidade, no Monte de Santa Luzia existe o Elevador Panorâmico de Santa Luzia que facilita a vida daqueles que não estão de carro e precisam descer os 160 metros de altura que os separam da cidade.
A viagem desse funicular é a mais longa de todos os funiculares de Portugal, percorrendo 650 metros, contra os 310 metros do de Nazaré, o segundo do país.
O custo dos bilhetes é de 3 €, ida e volta, e 2 € para subida ou descida simples.

Infelizmente não conseguimos descer até a cidade, pois já estava anoitecendo e ainda precisávamos jantar.
Resolvemos jantar no próprio hotel. Comemos um risoto de aspargos e uma carne. Tudo muito saboroso. As entradas e os pães também muito gostosos. Para beber a pedida foi um ótimo vinho português.
Após o jantar, andamos um pouco pelas áreas comuns da pousada e decidimos que no dia seguinte daríamos uma pequena passada na cidade antes de irmos para a cidade do Porto, nosso próximo destino.
Porém, quando acordamos no dia seguinte verificamos que o tempo tinha mudado radicalmente – muita chuva, uma névoa muito densa, muito vento e não se enxergava absolutamente nada da janela do nosso quarto.
Ficamos aguardando um pouco no quarto para ver se o tempo melhorava para podermos continuar viagem até o Porto, que será tema do nosso próximo post. Até lá!



Comentários

Postagens mais visitadas