Itália – Veneza


Como comentamos no post anterior, a parte italiana da nossa viagem começou no aeroporto de Charles de Gaulle em Paris, onde pagaríamos um voo da Air France para Veneza.



Para nos deslocarmos do Aeroporto Internacional Marco Polo até Veneza decidimos pegar o ônibus da ATVO. Compramos a passagem, na máquina automática, ainda no terminal de desembarque. Após acharmos o local de embarque, fomos orientados por uma solícita funcionária da empresa de ônibus que deveríamos validar o nosso tíquete. Ela mesma fez isso para nós. Quando o ônibus chegou, colocamos as malas no compartimento de bagagens. É o passageiro que é responsável por isso. Não há nenhum comprovante de que sua mala está lá. É tudo na base da camaradagem.
Esse transfer leva 20 minutos para chegar a Piazzale Roma, ponto de onde saem os barcos (vaporetti) para a “verdadeira” Veneza. Lá compramos outro bilhete e a funcionária nos orientou onde pegaríamos o barco. Antes de embarcar, não se esqueça de validar seu bilhete em uma das máquinas que ficam próximas aos pontos de embarque. Caso haja uma vistoria, você pode ser multado.




O check in no Hotel L'Orologio foi rápido e cortês. Um funcionário subiu conosco e mostrou todos os detalhes do quarto. Depois trouxe nossas malas.
O nome do hotel quer dizer “o relógio”, certamente por ser perto de uma praça do século XVI que tem um enorme relógio. Sua localização é excelente: bem em frente ao Grande Canal.
Nosso apartamento ficava no quarto andar e era todo automatizado, moderno e com uma iluminação muito bem pensada.
O café da manhã era excelente! Pães (não tão gostosos quanto os franceses, mas bons), chocolate quente, ovo mexido, bacon, salsicha, vários tipos de suco, frutas, sucrilhos ...




O que ver em Veneza


Grande Canal

O Grande Canal é o maior e mais importante canal de Veneza, tendo uma profundidade média de cinco metros. Forma a maior via aquática de tráfego da cidade, com seus “vaporetti” e táxis aquáticos servindo de meio de transporte, além das mundialmente conhecidas “gôndolas”.
Quatro pontes servem para os pedestres atravessarem o Grande Canal: Ponte da Academia (Ponte dell'Accademia), Ponte de Rialto (a mais famosa), Ponte dos Descalços (Ponte degli Scalzi) e Ponte da Constituição (Ponte della Costituzione).
Ao seu redor estão as principais atrações da linda cidade italiana.





Piazza San Marco
Uma das principais atrações de Veneza é a famosa Piazza San Marco, que abriga a Basílica de San Marco, que é o templo religioso mais importante de Veneza. É a única piazza da cidade, já que as outras são chamadas piazzales. Sua construção teve início no século IX. A forma atual é de 1177, mas só foi pavimentada 100 anos depois. A praça foi construída em um terreno baixo. Por isso, quando a maré sobe, é o primeiro lugar a inundar. Dizem que é proibido comer e beber e alimentar os pombos no meio da praça, mas vimos alguns indianos oferecendo comida para os turistas darem aos pombos. Vimos também a polícia impedir um casal de se sentar no meio da praça.
Na praça ficam uns ambulantes um tanto quanto inconvenientes (geralmente indianos) e que ficam insistentemente te oferecendo flores e comida para os pombos.

Palazzo Ducale
Ainda na Praça San Marco está situado o Palácio Ducal (Palazzo Ducale). O Palácio foi um castelo fortificado no século IX. Depois de ser reconstruído após um incêndio, foi usado como prisão e também como fortaleza. O prédio combina vários elementos arquitetônicos e abriga obras de artistas italianos famosos, entre eles Tiziano e Bellini.


San Giorgio Maggiore
Bem ao lado do Palazzo Ducale está o Grande Canal de onde podemos observar a igreja de San Giorgio Maggiore ao fundo, com várias gôndolas estacionadas servindo de uma das mais belas paisagens que tivemos em nossa estadia.



Basílica de Santa Della Salute
Por falar em igrejas, quem vai a Veneza com certeza não deixará de apreciar a Basílica de Santa Della Salute, um dos prédios mais imponentes de toda Veneza. Foi construída como pagamento de uma promessa celebrando o fim da peste que matou inúmeras pessoas em Veneza no século XVII.


Ponte dos Suspiros
A Ponte dos Suspiros é uma das pontes mais conhecidas e visitadas de Veneza, situada perto da Piazza San Marco e liga o Palazzo Ducale às Prigioni Nuove, o primeiro edifício no mundo construído para ser uma prisão. Reza a lenda que o nome da ponte tem origem no fato de os prisioneiros, ao atravessá-la, suspiravam, pois, seria a última vez que veriam o mundo externo.

Scala Contarini del Bovolo
A Scala Contarini del Bovolo é uma escadaria em espiral datada do século XVI. Tem 80 degraus e 28 metros de altura, de onde se tem uma vista dos telhados do casario bem no coração de Veneza. A entrada é paga e nós não subimos. Só tiramos algumas fotos.

Teatro La Fenice
Outro local famoso na cidade é o Teatro La Fenice, que é a Ópera de Veneza. Inaugurado em 1792 o La Fenice tem esse nome por conta da ave que ressurgiu das cinzas (Fenix). O nome teve seu significado colocado em cheque por duas vezes, quando passou por dois incêndios: um em 1936 e outro 60 anos depois, em 1996. Palco das mais importantes óperas e orquestras sinfônicas, o teatro sofreu várias intervenções e reformas desde sua inauguração.

Ponte de Rialto
A Ponte de Rialto é a ponte em arco mais antiga e mais famosa sobre o Grande Canal. Como o nosso hotel ficava nas proximidades, era um dos locais mais visitados por nós.


Fondaco Dei Tedeschi
Il Fondaco Dei Tedeschi é uma construção de 1228 e fica bem perto da famosa Ponte Rialto e era utilizado como depósito de mercadorias. Passou por um incêndio em 1505, foi reconstruído e foi sede do serviço de Correios de Veneza. Hoje é um shopping de três andares que abriga várias lojas de grife, além de produtos artesanais produzidos em Veneza, guias da cidade e souvenires.
No topo desse shopping tem um terraço de onde se tem uma bela vista da cidade. Quando chegamos lá, só podia entrar quem já tinha feito o agendamento, gratuito, pela Internet e nem todo mundo sabia disso. Eles oferecem uns totens com iPad para você fazer sua inscrição ali mesmo, só que o horário vai depender da disponibilidade. O segurança passava maus bocados tendo que correr atrás do turista incauto que passava direto pela entrada do terraço que, como nós, não sabia que a visita somente é feita com horário agendado. Fizemos nossa inscrição, mas para o dia seguinte às 11h.
No dia seguinte partimos para lá logo após o café da manhã. Quando chegamos ainda faltavam 15 minutos para as 11h mas só poderíamos entrar às 11 em ponto. Aproveitamos para dar uma volta pelo shopping e voltamos pouco antes das 11 e ficamos na fila. A vista é realmente bem legal de lá de cima! E como entram poucas pessoas de cada vez, não fica muito muvucado. O tempo máximo de permanência na torre é de 15 minutos. Ficamos uns 10 minutos apenas, tempo suficiente para tirar fotos de vários ângulos da bela cidade de Veneza e do Grande Canal.






Dorsoduro
Dorsoduro é um bairro tranquilo de Veneza, famoso por suas galerias de arte.
Para chegar até lá é necessário atravessar a Ponte Dell’Accademia, um dos símbolos de Veneza e de onde se tem uma bela vista da Basílica de Santa Della Salute. Qual não foi a nossa surpresa ao ver que a ponte estava sendo restaurada. Mesmo assim vencemos os 108 degraus para o outro lado pelo acesso de pedestres. Apesar de cansativo, o lugar é bem legal e não estava apinhado de gente. Vale a visita.



Se perder pelas vielas
O mais gostoso da cidade é sair sem rumo, percorrendo as pequenas vielas sem pressa e sem direção. A cada momento um caminho diferente, muitas pontes e várias surpresas: pequenos canais, casas, restaurantes e ruas mais tranquilas em relação às principais. Em alguns momentos chega-se a uma pequena praça.









Murano
Murano é um pequeno arquipélago composto por 7 ilhas ligadas por pontes. Está a cerca de 1 km de Veneza. Famosa por suas peças em cristais coloridos, podendo ser acessada por vaporetto a partir da estação Fondamente Nove.
Pegamos o barco para Murano e o trajeto levou uns 15 minutos. Chegando lá começamos a visitar as lojas de vidro Murano que tínhamos pesquisado, algumas de produção familiar.
Passeamos um pouco por lá e tiramos fotos da escultura Cometa de Vidro do artista Simone Cenedese e da torre do relógio do século XIX.
Dali, atravessamos a Ponte Longo e passamos pela igreja de Santa Maria e San Donato.





Passeio de Gôndola

Finalmente, a atividade mais tradicional de Veneza: andar de gôndola pelos canais da cidade. Em cada canto existe um “ponto” de gôndolas. Procuramos um lugar menos cheio para embarcar. O valor do passeio foi 80 €. Fomos navegando por entre aqueles canais menores, entre aqueles prédios antigos, o gondoleiro nos passava alguma informação histórica. Quase no final do passeio passamos no Grande Canal e achamos tudo muito divertido!









Veja uma pequena amostra desse passeio no vídeo abaixo:

Onde comer em Veneza

Sacro e Profano

Restaurante simples localizado perto do nosso hotel. Comemos uma lasanha e tomamos um Merlot italiano. Lasanha €14 e a taça de vinho, €4.

Esse foi o nosso point em Veneza. Comemos umas três vezes lá. Indicamos a bruschetta, as pizzas, o penne ao pesto e a carne de porco à milanesa com batata frita. Para beber sempre pedíamos um chope da Fabbrica di Pedavena (fundada em 1897), cerveja da região do Veneto e que tem esse nome devido a cidade onde se encontra a fábrica, Pedavena na província de Belluno. De sobremesa a pedida era sempre um delicioso Tiramisu. Na nossa última visita, infelizmente, fomos muito mal atendidos.

Mercante
Outro restaurante que tinha bons preços era o Mercante, também próximo ao hotel.  Comemos uma deliciosa lasanha e uma pizza. Para beber um Merlot chamado La Delizia.

Antica Trattoria Muranese S. R. L.
Almoçamos nesse restaurante quando fomos a Murano. Comemos uma salada caprese, uma lasanha e um frango à milanesa com batata frita. Para beber pedimos uma cerveja Moretti e uma água.
Bem perto dali fica a Gelateria Artigianale Murano, onde por €2,50 pudemos saborear um delicioso sorvete italiano de casquinha com dois sabores.


Algumas informações importantes sobre Veneza:
·     Adquira um chip na Vodafone (€30 com direito a 9 Gigas de Internet, 40 minutos para falar com o Brasil e 300 minutos nos países da Europa);
·      Se programe para jantar cedo. Quase todos os restaurantes encerram suas atividades às 23h em Veneza. Os únicos bares que vimos abertos são bares cujo público é mais jovem;
·       Não traga mala grande;
·       Não esqueça de validar seu bilhete do vaporetto;
·      Deixe para ir a Murano no último dia de sua estadia. Assim você pode adquirir um passe de 1 dia de vaporetto com uso ilimitado por 24 horas após a validação, servindo, assim, para o seu regresso a Piazzale Roma no dia seguinte;
·       Vidros de Murano também são caros em Murano.
 O mapa a seguir mostra a localização das principais atrações que nós vistamos em Veneza:

Finalizando nossa estadia em Veneza, pegamos o vaporetto de volta a Piazzale Roma e fomos procurar a loja da Hertz. Pegamos o carro, um Fiat Qubo Preto, entuchamos as malas e partimos em direção a Sirmione, com uma pequena parada em Verona, mas isso é assunto para os próximos posts. Até lá!.




Comentários

Postagens mais visitadas