Buenos Aires – Palermo


Palermo também já faz parte da nossa lista de lugares imperdíveis em Buenos Aires. O bairro é imenso e é dividido em três áreas – Palermo Chico, Palermo Soho e Palermo Hollywood.

A área que nos aventuramos inicialmente foi a de Palermo Chico onde se encontram os parques e lagos do bairro.



Começamos nosso passeio pelo Jardim Japonês onde o viajante pode admirar a beleza de um jardim tradicional japonês, com lagos com carpas, pontes, cachoeira e muito mais.

O jardim foi construído pela comunidade japonesa da Argentina em 1967 por ocasião da visita do então príncipe herdeiro Akihito e sua esposa Michiko em 15 de maio daquele ano.










Ali também pode se encontrar o Vivero Kadan onde plantas são vendidas aos visitantes. Existem diversos bonsais por lá! No local também podemos comprar comidas para alimentarmos os peixes.





Saindo do Jardim Japonês rumamos para o Parque 3 de Fevereiro, também conhecido como Bosques de Palermo. O parque foi inaugurado no dia 3 de fevereiro de 1875 e possui um enorme rosedal e pontes e lagos belíssimos.

O rosedal é uma atração a parte, pois possui cerca de 18.000 roseiras de várias espécies. Ele foi criado em 1914 e é o coração do parque ocupando uma área de 34.000 m2.








O lago que se encontra ao lado do rosedal é muito bonito e possui uma grande extensão. Lá você pode alugar um pedalinho ou um barco a remo e passear pelo seu espelho d’água admirando os patos, as árvores e se esquecer da vida. Muitos visitantes ficam por ali deitados na grama sem se importar com a hora...








Uma ponte denominada “ponte Grega” também chama a atenção dos visitantes pela sua beleza.





Para incrementar a beleza do local, uma linda pérgola está estrategicamente localizada entre o rosedal e o lago.





Um pouco mais adiante encontramos o Pátio Andaluz, doado pela cidade de Sevilha, em 1929, e que possui um coreto com uma fonte de cerâmica em seu centro.






O parque é um dos destinos preferidos dos moradores da capital argentina. Em seus limites podemos observar diversas pessoas caminhando ou andando de bicicleta e de patins.





Mas a cena mais comum nos arredores do parque é dos “passeadores de cachorros” carregando dezenas de cães. Você chega a perder a conta de tantos que por ali se aglomeram.

Para quem não sabe um passeador de cachorro é o profissional que passa nas casas das pessoas que têm cães, mas não têm tempo para cuidar de seus animais de estimação, e os levam para um adorável passeio em bando.

Segundo censo do Instituto Pasteur existem cerca de 500 mil cães em Buenos Aires e a Prefeitura resolveu regulamentar a atividade dos “passeadores” em 2001, pois muitos deles não respeitavam regras básicas de convivência, como por exemplo, recolher as fezes dos "perros".




Como os parques de Palermo são cortados por enormes avenidas, os visitantes sempre se defrontarão com algumas belas esculturas que estão localizadas em seus cruzamentos.

O primeiro monumento que avistamos ao chegar é o Monumento dos Espanhóis, localizado no cruzamento das avenidas Sarmiento e Libertador. A obra tem 25 metros de altura e foi criada em mármore e bronze, pelo escultor Agustin Overol, sendo um presente da comunidade espanhola pelo centenário da Revolução de Maio.


Outro monumento que atrai a atenção dos visitantes é aquele em homenagem ao ex-presidente argentino Justo José de Urquiza, inaugurado em 1958 e localizado no cruzamento das avenidas Figueroa Alcorta e Sarmiento.


Saindo de Palermo Chico, caminhamos rumo a Palermo Soho, região famosa pelos ótimos bares e restaurantes, sendo a Praça Julio Cortazar o coração do bairro. Na região também estão localizadas diversas livrarias, estúdios de artistas, lojas de móveis, bistrôs e papelarias, com destaque para a excelente Papelaria Palermo, localizada na av. Cabrera.

Em matéria de restaurantes o bairro dá um show. Experimentamos o Crizia e podemos dizer que é um dos melhores de Buenos Aires. A carne é suculenta e o atendimento impecável!


Outro restaurante famoso do bairro é o La Cabrera que agora abriu uma filial ao lado – o La Cabrera Norte. Efetuamos uma reserva pelo site do guia oleo e quando chegamos já havia uma enorme multidão esperando a sua vez. Assim, recomendamos que vocês SEMPRE efetuem a reserva antes, pois poderão ficar esperando horas para serem atendidos. Apesar da fama não gostamos muito da comida, mas fica a dica!


Finalmente a última parte do bairro é a chamada Palermo Hollywood, assim conhecida pela presença de estúdios cinematográficos e de empresas de produção televisiva e de rádio. Lá também existe uma série de bons restaurantes, mas infelizmente não fomos conhecer.

Em Palermo existem dois grandes shoppings: o Alto Palermo e o Paseo Alcorta.

Outros locais que devem ser conhecidos no bairro são o Malba (Museu de Arte Latinoamericano de Buenos Aires) e o Planetário Galileo Galilei.

Ao lado de Palermo encontra-se o bairro de Villa Crespo, famoso pela enorme quantidade de outlets.

No quadrilátero formado pelas ruas Aguirre, Malabia, Loyola e Thames encontram-se diversos outlets de marcas famosas, com destaque para a Lacoste e a Puma.

Confesso que não compramos nada por lá pois não achamos os preços interessantes, mas diversos brasileiros se aglomeravam por lá e abriam as suas carteiras comprando muito!

Mas os outlets que valem a pena são aqueles referentes aos artigos de couro, localizados ao longo na calle Murillo. Ali os preços dos artigos de couro são bem mais convidativos do que os das lojas da calle Florida.

O mapa abaixo apresenta todas as atrações que visitamos e/ou recomendamos em Palermo e em Villa Crespo:



No próximo post falaremos um pouco de Puerto Madero, La Boca e San Telmo. Até lá!

Comentários

Postagens mais visitadas