Portugal – Alto Douro

Nosso primeiro dia em terras portuguesas começou com o desembarque no aeroporto da cidade do Porto após um voo super rápido originário de Barcelona.
Assim que desembarcamos fomos até uma loja da Vodafone e fizemos um o plano pré-pago com direito a dados, ligações internas e ligações para o Brasil pelo valor de 25 Euros. Foi rápido e fácil. O atendimento foi atencioso e gentil. Saímos de lá e fomos para o guichê da Guerin para obtermos orientações de como pegaríamos o carro. De lá uma van nos levou até a loja da locadora em uma área fora do aeroporto. Estava lotada! E nós, mortos de cansaço, ficamos mais de uma hora na fila. A superlotação era tão grande que algumas pessoas iam nas locadoras vizinhas, conseguiam um carro mais rápido e desistiam da Guerin. No final das contas, após um atendimento seco do funcionário da empresa, pegamos um Golf a diesel.
O nosso destino era a Quinta de Santo Antonio, localizada na região do Alto Douro, mais precisamente em Adorigo, Tabuaçu.


Como estávamos famintos, resolvemos parar em Peso da Régua, um pequeno vilarejo, para comer algo. Lá estacionamos com facilidade na beira do rio e entramos na primeira lanchonete que encontramos aberta, tamanha era a fome. Comemos pela primeira vez a famosa “Francesinha”, prato típico da região do Porto que veio acompanhada de batatas fritas e bebemos um “fino”, como é chamado o chope no norte de Portugal.
Após o almoço, rumamos para a Quinta de Santo Antonio, mas erramos o caminho, o que nos proporcionou a oportunidade de parar em um dos vários mirantes existentes na região e apreciar a belíssima vista do rio Douro. Moradoras da região, muito solícitas, nos ensinaram o caminho para a pousada.
Quando finalmente chegamos na Quinta de Santo Antônio já entardecia. Local lindíssimo! Com somente 9 quartos, decoração primorosa e vista maravilhosa do Douro, a pousada oferece atendimento exclusivo.  Belo começo de passeio! Agendamos de jantar no hotel. O jantar era simples. Todos sentados numa mesma mesa, facilitava a interação entre os hóspedes. Ótima ideia! Havia outros 4 brasileiros e ainda holandeses, americanos e um canadense.





Na manhã seguinte, depois do café, fomos na capela da Quinta e tiramos mais fotos da propriedade.







Outra boa pedida é tirar umas fotos da Quinta e da região do Douro ao entardecer. Ficam bem legais!

Perto dali fica a Quinta do Seixo, local onde fabricam os vinhos Sandeman. Fomos até lá e fizemos a visita clássica (€ 6), que inclui um vídeo, visita à adega e outros locais da propriedade. Como escolhemos o tour em português, éramos só nós dois. Muito bom!



Ao final, fizemos uma degustação de dois tipos de vinho do Porto em uma bela sala e um magnífico terraço com uma das melhores vistas do Rio Douro.





Não poderíamos deixar de visitar a loja da Sandeman e comprar alguns vinhos.
Tiramos mais algumas fotos e partimos para a cidade de Pinhão, bem próxima dali. Estacionar por lá é meio complicado.
Descemos para a beira do rio e achamos vaga em frente ao restaurante LBV 79. Estava cheio e ficamos aguardando. Como disseram que não precisava anotar nossos nomes, esperamos por muito tempo até percebermos que pessoas que chegaram depois da gente já estavam sentadas. Reclamamos e apareceu uma mesa rapidinho pra gente sentar. Na varanda. O atendimento foi mais ou menos incialmente. Pedimos de entrada risoles, bolinho de bacalhau e alheiras (um tipo de embutido português). Para almoçar, pedimos um bacalhau, mas estava muito salgado! Bebemos o vinho da casa.


Uma boa pedida é passear pela beira do rio após o almoço e deixar o tempo passar, sem compromisso com a hora.



Outro ponto alto da cidade é a sua bela estação de trem. Paramos lá e tiramos algumas fotos.




À noite, fomos novamente para Pinhão. No primeiro restaurante que nos indicaram (Veladouro), além de cheio, tinha ocorrido algum problema e os pedidos estavam muito atrasados. Decidimos procurar outro restaurante. Acabamos indo no Cais da Foz, restaurante simples, mas com uma comida boa e barata. Resultado: gastamos apenas € 20 no jantar, com bebidas. Ele fica bem na beira do rio onde os navios que fazem passeios pelo rio Douro ficam atracados para pernoite.
Um dos restaurantes mais famosos de Portugal também fica na região do Douro – o DOC do Chef Rui Paula, situado em Folgosa bem às margens do Rio Douro.


No dia seguinte, fizemos check out e continuamos nosso passeio por Portugal. Passamos por Lamego para conhecer a igreja de Nossa Senhora dos Remédios. Lembrem-se que para chegar até a igreja terão que enfrentar os 686 degraus até o topo. Resultado: desistimos no meio do caminho! 
Para finalizar a nossa passagem pela região fomos até Vila Real conhecer a Casa deMateus, uma bela propriedade do século XVIII que abriga uma das mais atuantes instituições culturais de Portugal.
Existem duas modalidades de visita:
1 - Interior da casa, capela e jardins; e
2 - Apenas os jardins.
Optamos por conhecer apenas os jardins cujo valor da entrada saiu por € 7,50.




De Vila Real seguimos para o nosso próximo pernoite, na  cidade berço de Portugal – Guimarães, que será tema do nosso próximo post. Até lá!

Comentários

Postagens mais visitadas