Rio Grande do Sul – Spa do Vinho

Depois de muitas idas até Gramado e Canela, decidimos que o nosso próximo destino na Serra Gaúcha seria a região conhecida como Vale dos Vinhedos, localizada entre os municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo.
O Vale dos Vinhedos resgata a história dos imigrantes italianos que ali chegaram a partir do ano de 1875, sendo um dos destinos turísticos mais conhecidos do Brasil, destacando-se pelo enoturismo. Na região você encontra vinícolas de diferentes portes, que são referência nacional, com diversas opções de vinhos e espumantes, e ampla estrutura turística, contando com bons restaurantes, hotéis e pousadas.



Para chegar até o Vale dos Vinhedos, decidimos voar até Porto Alegre (Aeroporto Internacional Salgado Filho). Como nosso voo chegava tarde, optamos por dormir no Ibis perto do aeroporto e no dia seguinte pegar o carro, alugado na Localiza para seguirmos viagem descansados e em segurança. O Ibis oferece transfer gratuito do aeroporto ao hotel e cobra R$ 5,00 por pessoa no trajeto hotel-aeroporto.
A viagem do aeroporto até a região dura cerca de 1h40min. A estrada alterna trechos com pista duplicada e pista única, muitos deles bastante esburacados.
Nosso destino era o hotel Spa do Vinho, da rede Marriott, localizado em Bento Gonçalves em plena RS-444, rodeado de vinícolas.
O hotel é muito bonito. A estradinha que leva até ele é cercada de Álamos. Lembra muito o interior da Toscana.
Originalmente era chamado de Vila Europa, por isso o símbolo VE no portão de entrada, na fachada do hotel e nos pratos. Fomos informados que os hóspedes preferiam chamar o hotel de Spa do Vinho e foi o nome que ficou.

O check in é feito de forma diferenciada. Ao invés de um único balcão, como na maioria dos hotéis, este tem stands individuais de check in e oferecem espumante e biscoitos como boas-vindas aos para os hóspedes. O staff do hotel é um de seus pontos altos, sempre muito educados e solícitos.
Cabe lembrar que o estacionamento, que funciona no sistema de valet é pago, saindo por R$30,00 a diária.



O hotel também tem plantação de uvas e o vinho top de linha deles é o VE, que só é produzido nos anos em que as uvas alcançam excelência. 
Para a produção do vinho faz contratos com diferentes vinícolas. Em 2017 foi com a Miolo. Já em 2018 fecharam contrato com a Almaúnica. Aliás, o grupo Miolo é um dos donos do Spa do Vinho, entre vários outros.




O Spa do Vinho desenvolve diversas ações de sustentabilidade e incentiva a prática de reuso das toalhas como redução de consumo de água, energia e produto de limpeza e também o melhor reaproveitamento de produtos em embalagens plásticas e garrafas PET, incentivando a redução do volume de lixo armazenado e transportado na região. Para os que optam por aderir ao reuso das toalhas o hotel oferece um kit que eles chamam de Kit Programa Sustentabilidade que contém 1 suco de uva integral, 2 águas sem gás, 1 pacote de amendoim e 2 barras de cerais. Solicitam também utilizarmos os amenities até o final e deixar os frascos vazios disponíveis para serem reciclados.



Ficamos no quarto 415. O apartamento é bem amplo, tem uma saleta, duas TVs, cama king size e decoração clássica, assim como todo o hotel. Já precisa de manutenção em alguns detalhes, como nos metais do banheiro, que estão bem desgastados. Mas no geral o quarto é confortável e com uma vista inacreditável.

O hotel possui sua própria fonte de água mineralizada e potável. Portanto, a água da torneira pode ser bebida.
O Wi-Fi do hotel é muito bom. Coisa rara em hotéis.
O Spa do Vinho possui a maior adega dentro de um hotel no país, com capacidade para 40.000 garrafas e mais de 700 rótulos nacionais e importados.
Fomos visitá-la e quem nos acompanhou foi o Renan, que tem muito conhecimento sobre os detalhes da adega. Vimos vários vinhos nacionais, entre eles os do próprio hotel. Um da safra de 2005 custa mais de 500,00.
O hotel convida, ainda, algumas vinícolas para oferecer degustação cortesia para os hóspedes do hotel nas suas dependências. Geralmente, cada vinícola oferece dois horários por dia, sempre à noite. Se informe assim que chegar no hotel e já deixe seu nome na recepção, pois as vagas são poucas. No primeiro dia foi a Milantino, vinícola familiar que só produz os seus vinhos nas safras de excelência. Destaque para o Merlot Reserva 2005.
No dia seguinte foi a vez da Lídio Carraro, outra vinícola pequena, bem familiar. Gostamos muito dos vinhos de lá, mas deixamos para comprá-los quando fôssemos visitar a vinícola.
A terceira degustação foi da Vinícola Torcello, que chamou a nossa atenção pelo amplo conhecimento de vinhos de seu funcionário.
No quesito “comes e bebes” o Spa do Vinho também é imbatível! O hotel possui um restaurante – o Leopoldina, com mesas no interior e na varanda e um bistrô – o Sabrage.
O restaurante funciona no esquema de reservas prévias, ao contrário do bistrô. Jantamos diversas vezes no Leopoldina e almoçamos uma única vez no bistrô. Jantamos no bistrô nos dias em que o restaurante não funcionava, geralmente aos domingos.
A comida e o atendimento do restaurante são excelentes. Para beber pedíamos um espumante ou um vinho tinto da extensa carta do hotel. E para comer indicamos vários pratos:
·         Tornedor com Risoto de aspargos frescos;
·         Gnochi de batata doce com gorgonzola;
·         Filet de linguado com molho de alcaparras e amêndoas com arroz branco;
·         Tornedor de filet mignon com risoto de aspargos;
·         Filet mignon com batata gratinada;
·         Filet à parmegiana. Este, além de delicioso, serve duas pessoas tranquilamente.





O café da manhã, servido no restaurante Leopoldina, é muito bom, com queijos, embutidos, sucos, pães variados e frutas. Mas sem exageros de variedades.
Os pães são maravilhosos, os queijos e embutidos também. Fora isso tem frutas, salada de frutas, pão de queijo, biscoitos caseiros, iogurte do tipo Activea, bolo, uma vitamina, uns dois tipos de suco, que você pede ao garçom, assim como a omelete que um dia foi com presunto, no outro dia foi com manjericão e outro com tomate, ou ovos fritos. Além disso também tem frutas secas e castanhas.

Como o próprio nome diz, o hotel possui um excelente Spa – o Vino Spa, que é um espaço de relaxamento com tratamentos vinoterápicos. Não utilizamos os serviços do Spa, mas ouvimos os comentários de alguns hóspedes que usufruíram deles, e elogiaram bastante.
O hotel também oferece uma atividade bem educativa - um tour gratuito, a pé, feito pela região. Dura cerca de 1 hora. Durante o café da manhã, o guia Douglas passa de mesa em mesa convidando os hóspedes para o tour. O passeio é bem interessante e ele vai explicando detalhes e curiosidades sobre a região. Passamos pelos vinhedos de propriedade do hotel e da Vinícola Miolo, que fica exatamente em frente ao hotel. Já na propriedade da Miolo, passamos pelo lago de carpas, pelo Wine Garden e pela residência dos donos da Miolo. Douglas nos explicou sobre os plátanos e sua função. Tirando os borrachudos, o tour foi bem interessante. Não esqueça o repelente.


Para finalizar, não podemos deixar de destacar a ótima piscina do hotel e a Trattoria Damiagiana, localizada no topo da torre do hotel, com uma linda vista panorâmica do Vale dos Vinhedos, mas que abre apenas em algumas ocasiões.


Nos próximos posts continuaremos relatando como foi o nosso passeio pelo Vale dos Vinhedos. Até lá!




Comentários

Postagens mais visitadas