Itália – Lago de Garda


Deixamos Verona e continuamos nossa viagem em direção a Sirmione, que seria a nossa base durante nossa estadia na região do Lago di Garda, o maior lago da Itália, que fica no norte do país, entre as regiões de Trentino, Veneto e Lombardia.




Sirmione

Chamada de a Pérola do Garda, Sirmione é uma das mais belas cidades à beira do Lago de Garda. A cidade é também uma estação de águas, com algumas estâncias e spas termais, cujas águas são conhecidas por curar doenças, especialmente respiratórias. O Centro Histórico de Sirmione fica em uma península, onde você vai encontrar hotéis, praias, estâncias termais, bons restaurantes, lojas e sorveterias artesanais com o delicioso gelatto italiano. A cidade é perfeita para passeios ao ar livre.
Ficamos hospedados no Centro Histórico de Sirmione, no Hotel Catullo. Chegando lá, todos os veículos são obrigados a se identificar em uma guarita, pois a entrada de carros no Centro Histórico da cidade só é permitida para moradores e hóspedes dos hotéis lá localizados, que deverão ter um selo colado em seu carro identificando o veículo.

Dificuldade total para dirigir no meio daquelas ruelas com a multidão que estava no lugar. Felizmente, em um dos principais cruzamentos do local, tem um guarda de trânsito orientando o tráfego.

Finalmente chegamos no Hotel Catullo. Simples, antigo, com decoração de gosto duvidoso, mas com um staff muito simpático. Fizemos um rápido check in, fomos acompanhados ao nosso quarto, com todas as instruções entregues em nossas mãos pelo funcionário. A chave deve sempre ser deixada na recepção. Eles sempre estacionam os carros dos hóspedes e, como o estacionamento do hotel é um pouco distante, sempre que precisarmos do carro devemos solicitá-lo na recepção com 30 minutos de antecedência.




Desde que chegamos, ficamos à procura de um bom lugar para ver o belíssimo pôr do sol da região. O melhor local estava mais perto da gente do que imaginávamos: o terraço do Hotel Catullo. O lugar é bem legal e tem mesmo uma bela vista. Rendeu ótimas fotos.





O legal de Sirmione é justamente sair a pé pela cidade. Após deixarmos nossas malas no hotel, começamos nosso passeio pelo Castello Scaligero di Sirmione, construído no século XIII. O castelo serviu como fortificação para proteger a cidade e era também algo semelhante a uma alfândega para fiscalizar o porto. É pelo seu pórtico que passamos ao entrar no Centro Histórico. Esse é um dos castelos mais bem preservados da Itália e um exemplo incomum de fortificação a beira de um lago.
Vale a pena, voltar lá à noite para mais umas fotos. Recomendamos!





Não deixe de passear pelo calçadão panorâmico ao longo do Lago de Garda. Muito lindo o lugar. Andamos bastante, caminhando até o final do calçadão.








No final, voltamos por um parque e subimos até à igreja de San Pietro in Mavino, a igreja mais antiga de Sirmione, em um local muito charmoso e tranquilo, cercado de oliveiras. Estávamos cansados e não conseguimos ir até às Grutas de Catullo, mas muito lemos sobre as belas ruínas arqueológicas localizadas bem na ponta da península onde se encontra o Centro Histórico.



Para encerrar a caminhada, nada melhor do que continuar passeando pelo Centro Histórico, conhecendo suas lojas, ruas, sorveterias e a Igreja de Santa Maria Maggiore.






Durante nossa estadia almoçamos e jantamos em vários restaurantes, três dos quais recomendamos: Osteria Al Torcol, Enoteca Delle Antiche Mura e San Lorenzo.

Gostamos muito do Osteria Al Torcol. Do atendimento e da comida. Comemos um risoto de aspargos muito saboroso. Para beber, escolhemos um vinho da região muito bom – Montagu, da Leali di Monteacuto - vinho 100% feito da uva Rebo, resultado do cruzamento da Merlot com a Teroldego. A uva tem esse nome em homenagem ao seu criador - Rebo Rigotte.

Já a especialidade da Enoteca Delle Antiche Mura é a bruschetta. Todas são deliciosas! Tomamos um vinho produzido na região muito bom. Um Merlot.

No San Lorenzo fomos de pizza e cerveja.



Durante os três dias que ficamos em Sirmione, fizemos um bate e volta em algumas das belas cidades ao redor do Lago de Garda.

Peschiera Del Garda
Cercada por muralhas datadas do século XVI, Peschiera Del Garda é pequena e está situada na foz do Rio Mincio. A cidade de Pesquiera tem um forte (Fortificazioni).
Estacionamos no Parcheggio Festung. Entramos na fortificação pela Porta Brescia e, a seguir, vislumbramos um mundo lá dentro que a gente nem imaginava. Lojas, restaurantes, tudo perto do Lago.





Andamos um pouco por lá e bateu a fome.
Olhamos alguns restaurantes e decidimos pelo Al Canal. Almoçamos espaguete à carbonara e pizza. Para beber, vinho da casa e chope Itala Pilsen de Padova. Nesse restaurante fomos atendidos por um simpático funcionário brasileiro.
Saímos e tomamos um sorvete delicioso no La Romana, sorveteria que completou 70 anos em 2017.

Bardolino
Bardolino é uma bela cidade a beira do Lago de Garda, cercada por vinhedos e montanhas. Seu calçadão a beira do lago tem um lindo paisagismo ornamentado com flores e bancos para se curtir a belíssima vista do lago. Bardolino também é o nome do vinho produzido na região.
Estacionamos um pouco longe num estacionamento que julgamos não ser pago. A cidade parece ser linda, mas antes mesmo de chegarmos ao nosso destino, começou a chover forte e não aproveitamos o lugar. Ficamos aguardando a chuva passar na porta de uma loja, mas só piorou. Tiramos umas poucas fotos e decidimos voltar.

Malcesine
Malcesine é uma linda cidade medieval que fica à margem do Lago de Garda. A pequena cidade cresceu ao redor do Castello Scaligero di Malcesine, castelo datado do ano 500 A.D. e tem como proteção o impressionante Monte Baldo. A cidade tem ainda belos campos de oliveiras e os azeites produzidos por lá tem classificação de denominação de origem protegida (DOP) e são uma das principais fontes de sustento de seu povo. Seu Centro Histórico oferece bons restaurantes com mesas ao ar livre e também lojas.
Nossa primeira parada na cidade foi na Funivia Malcesine Monte Baldo que é o teleférico que leva ao topo do Monte Baldo de onde, do alto de seus 1760 metros, se tem uma bela vista da cidade e a noção da imensidão do Largo de Garda. As cabines do bondinho são giratórias, o que dá ao visitante uma visão de 360o da paisagem durante todo o passeio. Da base ao topo da montanha leva-se 15 minutos e durante o percurso fazemos uma parada a 580m de altitude (San Michele) e a última parada in Tratto Spino a 1760m de altitude.
Só que o passeio se revelou uma grande roubada, porque a fila para entrar no local era gigantesca! Se tivéssemos nos informado antes, não teríamos ido, pois só fomos perceber que iria demorar, e muito, depois que já tínhamos pago os €22 (por pessoa) para pegarmos o tal teleférico. Sei que, finalmente, quando chegamos lá em cima o tempo já estava fechado e uma névoa baixava rapidamente sobre a cidade. Fora que lá em cima estava uma sujeira danada não sabemos o porquê. Parecia que o lugar estava abandonado, com as lixeiras cheias de lixo, sem uma lanchonete ou restaurante aberto para nem sequer tomarmos uma água. Ficamos muito pouco tempo lá em cima, e pegamos o bondinho de volta para descer.




Depois fomos dar uma volta no Centro Histórico da cidade, onde tem lojas e restaurantes, como em Sirmione e o Castello Scaligero di Malcesine. Também andamos um pouco pelas margens do Lago.




Almoçamos num restaurante bacana chamado ReLear. Comemos uma porção de bruschetta de entrada e uma lasanha cada um. Para beber, chope Dolomiti e Sprite.

Outras Cidades
Como nosso último dia na região do Lago de Garda terminou com chuva, acabamos não conseguindo parar em diversas cidades bacanas que tínhamos planejado, como Riva del Garda, Limone Sul Garda, Salò e Manerba del Garda, o que não nos impediu de dar a volta completa no lago, o que se consegue fazer em cerca de 3 horas.
Tentamos, também, ir na vinícola Leali De MonteAcuto, a fim de fazer uma visita e comprar o vinho Montagu (uva Rebo) e o azeite que havíamos experimentado no restaurante Osteria Al Torcol onde jantamos na nossa primeira noite em Sirmione. O lugar era bem afastado da estrada, mas encontramos o local após perguntarmos para um senhor que estava com seu cachorro em frente à casa dele. Ele nos indicou um portão e disse que poderíamos entrar. Isso foi o que nós entendemos, né? Porque o homem falou tudo em Italiano. Mas entramos, apertamos o interfone, mas só quem nos recebeu foi o cachorro e com muitos latidos. Aguardamos uns instantes e nada! Uma pena, pois pretendíamos fazer umas boas compras!
Borghetto
No dia seguinte rumamos em direção à Florença, mas antes paramos em Borgheto sul Mincio, pequena localidade com restaurantes e lojas às margens do rio Mincio que nasce exatamente no Lago de Garda.
Paramos em um dos estacionamentos do local e fomos conhecer o lugar. Tiramos muitas fotos e depois paramos na l'Osteria In Strada para beber algo. Como estava dirigindo, fiquei na água, enquanto minha esposa foi de Aperol Spritz, bebida famosa na região e que tem ganhado fama aqui no Brasil.










Como tínhamos muita estrada pela frente tratamos de ir para o carro, mas antes compramos dois panini pra comer durante a longa viagem de 3 horas de carro até Florença, cidade que será tema do nosso próximo post. Até lá!
O mapa a seguir mostra a localização das principais atrações que nós vistamos na região do Lago de Garda:



Comentários

Postagens mais visitadas